segunda-feira

Regresso ao mundo III

“Não éramos iguais. Nunca foi uma relação de iguais… tinha de me afastar.”
Sempre a mesma desculpa. E sempre o mesmo peso na consciência. E sempre o mesmo amor teimoso a não dar tréguas nem sossego. Tanto tempo já passado e tantas lutas para que a tranquilidade visitasse o seu coração, e até parecia que, à medida que o tempo passava, a inquietação se instalava mais.

Tinha ficado de tal modo atrapalhada ao avistá-lo ao longe, que não reparara no automóvel a grande velocidade e se deixara atropelar, quase mortalmente. Fora um milagre ter acordado daquele coma profundo, depois de ter sido dada como morta.
A sua primeira preocupação tinha sido com os seus meninos e pedira socorro para eles, mas acordara com José Miguel na memória, talvez devido ao facto de ele nunca de lá ter saído. Ele era o seu constante pesadelo.

Quando sentiu uma respiração quente a acariciar-lhe o rosto, o pesadelo suavizou, mas nada daquilo podia ser real. Não podia ser… já sonhara aquele sonho tantas vezes... Era somente um produto da sua mente perturbada que insistia em atormentá-la.
No entanto, aquele beijo parecia tão verdadeiro que não queria acordar. Perfeita alucinação em que mergulhara e que lhe transmitia um bem-estar interior tão intenso que queria que perdurasse, para não ter que dar ouvidos aos remorsos de o ter deixado, sem lhe contar a verdade, e que não a largavam nunca.

Poderia ele perdoar-lhe?

11 comentários:

Justine disse...

Tens o dom de contar bem , de agarrar o leitor.
Apetece continuar a leitura...

Nilson Barcelli disse...

Uma belíssima narrativa, como sempre.
Gostei muito, beijo.

Renata Cavanha (Bambu Amado) disse...

Em uma de minhas visitas pelos blogs te encontrei...Deus te abençoe...
Renata
www.radiobeatitudes.com

O Profeta disse...

Brotam e correm para o Mar
Os sonhos da tua alma de gaivota
Têm a nudez das águas de uma baía
Neste coração de dor encoberta

Rosa breve em aurora de Abril
Festa da luz no azul do mundo
Semeias sonhos como estrelas no espaço
Guardas apenas um no teu mais profundo


Boa semana


Mágico beijo

Mariz disse...

Salvé querida amiga...
E então? fica por aqui a narração?
Estava com ganas de te ler mais!
gosto do que escreves, pela transparência e luminosidade.

Se quiseres aceitar o desafio que tenho lá no meu sítio, desencadeavas depois a partir daqui o mesmo tema.
Não sei é se gostarás disso...
Beijos meus
Bom fim semana

sempre...
Mariz

Luis F disse...

Continuas em alta... e eu adoro ler o que por aqui vais escrevendo e deixando.

Com amizade
Luis

Gilbamar disse...

Emocionam-me deveras seus textos, e eu os leio sempre com interesse. Surpreende-me ler você.

Fraternal abraço do amigo Gilbamar.

Cadinho RoCo disse...

Alimentar transtornos em nós é nutrir a morte em detrimento da vida.
Cadinho RoCo

Pierrot disse...

Sim, tambem concordo com os meus antecessores.
Grande narrativa que prende, é fluente e não satura...
Porque não perdoar... :-)
Bjos daqui
Pierrot

Dennys Reys disse...

Bela Narrativa....

Bruno Cardona disse...

uau, k blog tao interessante, adorei passar por aqui, vou voltar muitas vezes, parabéns. Beijos.
Bruno Cardona