terça-feira

Cinza?

O sorriso já de si amargo morreu-lhe por completo nos lábios; a luz esmoreceu-lhe no olhar. O brilho opaco que ainda despontava no seu rosto foi-se apagando como uma torcida que deixa de fumegar.
O lume vai-se lentamente apagando na fogueira já gasta. Não quer arder. Não quer cintilar. Gasta. Apagada. Sem fulgor. Tudo é negro no canto cada vez mais escuro. Vai-se extinguindo a lenha dando lugar à cinza que se vai acumulando e encobrindo, porventura, algum brasido ainda quente. Um coração, ainda rubro, que teima em não parar de bater. Mas por quanto tempo mais, se um mundo de escombros em putrefacção lhe rasgam as carnes e a alma? Só cinza. Lixo. À sua volta o que mais encontra é lixo, lixo, lixo, lixo, lixo, lixo, lixo, lixo, lixo, lixo, lixo…

Cinza?

8 comentários:

antonio - o implume disse...

Uma elipse sobre uma chama que se consome... e o lixo que fica para além das cinzas!

Roderick disse...

A velhice a chegar....

Justine disse...

Hoje há núvens muito sombrias cobrindo a habitual claridade do olhar...

Fa menor disse...

Meus queridos amigos,
agradeço muito as vossas palavras.

Peço-vos desculpa pela falta de atenção que vos tenho dedicado...
mas o tempo e o ânimo para isso não têm abundado cá por este lado...

Muitos beijinhos

Luis F disse...

Passei pelo teu mundo e de pé aplaudo os teus textos... estás de parabéns pelos belos momentos.

Com amizade
Luis

poetaeusou . . . disse...

*
e das cinzas
a pureza nasce . . .
,
renascidas conchinhas, deixo,
,
*

O Profeta disse...

Um areal morno acolheu
Teus passos ávidos da chegada
Caminhas na procura das marcas
De uma espera desencontrada

Calmaria!
A bonança reivindicou o Sol no celeste
Uniram-se os pedaços de rasgada vela
Tua alma retomou o sonho adiante


Boa semana


Mágico beijo

Fa menor disse...

O sol volta todos os dias...
podes não o ver, mas ele está lá!

Obrigada a todos pelas vossas palavrinhas :)
Bjos