sexta-feira

Pontos nos iiii

Os tempos modificam-se como da noite para o dia. E outra vez como do dia para a noite.
Fingem-se páginas bem alinhadas, arrancadas à intempérie que não dá tréguas. Num corrupio, abastecem-se memórias de histórias esquecidas, tontas, torcidas, tremidas, aladas, caladas. Coladas. Vividas.
A ti pertence o meu sabor das manhãs de neblina. Em ti abandono as dores das noites sem luar. De ti retiro calor e frio, paz e tormento. Fogo. Relento.
E debato-me numa indecisão: refresco-me na chuva que me salpica a janela ou retiro-me no sono que me espreita as pálpebras?
Posso, precariamente, colar as mãos ao volante e soltar-me livre no asfalto negro que me fascina. Posso, indefinidamente, resumir-me ao espelho da janela e fechar o mundo do lado de dentro. Posso.
Posso cerrar a cortina e suprimir, de vez, este engano em banho lento. Posso trocar as voltas às voltas à volta de mim. Posso. Talvez um dia mergulhe nessa coragem. E posso ter a certeza de que, quando isso acontecer, essa volta será uma volta dada bem por cima.

19 comentários:

AC disse...

Texto fascinante, a requerer leitura demorada. Porque impele à reflexão, e esta requer o afago do tempo.

Beijo :)

poetaeusou . . . disse...

*
não sejas assim . . .
,
neste País nada muda,
olha,
nem os os árbitros,
só gostam de vinho do porto !
hehehehe,
,
conchinhas,
,
*

ONG ALERTA disse...

Para se pensar e muito, beijo Lisette.

Benó disse...

É preciso dar sempre a volta por cima por mais voltas que a vida nos dè. Belo texto, Fa.
Uma boa semana.

helia disse...

É preciso acreditar que mesmo em situações muito difíceis , conseguimos "dar a volta por cima", desde que tenhamos fé e esperança!

O Árabe disse...

Assim é. Mas o melhor, amiga, é saber que sempre nos pertence a escolha. :) Boa semana!

DE MÃOS DADAS disse...

Claro que tudo muda
e tudo vai mudando... mas mais que mudar coisa vamos mudar mentalidades.
Beijinhos
Utilia

O Profeta disse...

Mas porque raio vejo em tudo
A musica sempre presente
Porque umas vezes me faz triste
Outras me deixa contente?

E fui cantador de prosas sem rima
E fui tenor de palavras sem sentido
Cantei invenções e perdidos sonhos
E nisto não fui um cantador contido

Cantei-te a vida que vivi
As coisas que me fazem sofrer
Neste palco ninguém morre
No aplauso julguei esquecer...


Doce beijo

Justine disse...

Que texto belíssimo de reflexão sobre a liberdade pessoal, os caminhos, as escolhas!
Um beijo pelo prazer da leitura:))

sérgio figueiredo disse...

Indecisão Vc decisão. Incerteza Vc certeza. Hoje Vc amanhã.
Ah... a coragem.

Querida Amiga,
Não tens de te martirizar!
A coragem é, apenas, um momento de decisão e acreditar.
Falta o hoje ou o amanhã, não penses...tinha sido o ontem, mais...dói.

bj...nho

João Lenjob disse...

Isso Quer Dizer Amor
João Lenjob

Tinha certeza e só
Não entrei aqui (seu coração) para sair
Mas vim aqui somente para entender
E lhe remeter o que quer dizer amor
Já lhe adianto, por favor, que foi fácil ver.
Logo que vi você a derivação de brilho e flor
Logo entendi a tal fascinação
Que agita o coração, de tremer, arrepiar,
Na ansiedade estar
Tentar esquecer ou não querer se lembrar.
Compreender a chegada aos céus, falação com pudor,
Respeitar o ar e a natureza apreciar,
Deixar a dor chegar e nem sentir
Ou sentir dor e deixar e nem ligar
Sonhar acordado, sozinho estar a sorrir, de nada.
Sentir um calor acontecer, sempre junto com o frio,
Vezes até calafrio,
O mundo se renovar, cada momento re-acontecer,
Isso quer dizer amor.

Maria Soledade disse...

Minha kida Fá;Hoje venho aqui,para desejar-te um Feliz Natal.Apesar da minha ausênsia na blogosfera, nesta data tão especial estou a esforçar-me por não me esquecer de nenhum amigo/a.

****O texto está como sempre nos habituaste...Delicioso!!!

Feliz-Natal Linda
Beijinhos MUITA SAÚDE

Luís Coelho disse...

É verdade que os tempos se modificam a uma velocidade estonteante e nem nos apercebemos das grandes mudanças políticas e sociais que se sucedem diariamente.

. intemporal . disse...

.

. e eu? .

.

. posso desejar.TE um Feliz Natal? .

.

. posso? posso! .

.

. e não há . nem haverá nunca volta a dar a quem verba assim, na vogalização como constante de todas as estações .

.

. um feliz natal, e nunca desistas de escrever .

.

. e eu? eu estarei aqui sempre para te ler .

.

. um beijinho enorme .

.

. paulo .

.

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá, vim deixar um carinho de amiga, com abraços de paz, beijos no teu coração.♥

Olavo Bilac

Natal


Jesus nasceu. Na abóbada infinita
Soam cânticos vivos de alegria;
E toda a vida universal palpita
Dentro daquela pobre estrebaria...

Não houve sedas, nem cetins, nem rendas
No berço humilde em que nasceu Jesus...
Mas os pobres trouxeram oferendas
Para quem tinha de morrer na cruz.

Sobre a palha, risonho, e iluminado
Pelo luar dos olhos de Maria,
Vede o Menino-Deus, que está cercado
Dos animais da pobre estrebaria.

Não nasceu entre pompas reluzentes;
Na humildade e na paz deste lugar,
Assim que abriu os olhos inocentes
Foi para os pobres seu primeiro olhar.

No entanto, os reis da terra, pecadores,
Seguindo a estrela que ao presepe os guia,
Vem cobrir de perfumes e de flores
O chão daquela pobre estrebaria.

Sobem hinos de amor ao céu profundo;
Homens, Jesus nasceu! Natal! Natal!
Sobre esta palha está quem salva o mundo,
Quem ama os fracos, quem perdoa o mal,

Natal! Natal! Em toda a natureza
Há sorrisos e cantos, neste dia...
Salve Deus da humildade e da pobreza
Nascido numa pobre estrebaria.

FELIZ NATAL!

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite, amiga!

Venho simplesmente desejar-lhe,

a si

e aos seu familiares

uma óptima

Quadra Natalícia!

Saudações poéticas

Lilá(s) disse...

Mais um texto bonito e bem escrito!
Bjs

Mariz disse...

Minha Amiga

Fico muito grata pela tua atenção.
E quanto a escolhas, é a vida que nos ensina a fazê-las o melhor possível quando nos desviamos da rota.

Desejo-te um Feliz Naatal á medida do teu coração.

Sempre...
Carinhosamente...
Mariz

legalmente loira... disse...

querida fa,
que saudades!!
que texto lindissimo senti muito falta.
eu prometo que volto rsrs
beijos.