terça-feira

Breve Aragem do Mar na Alma


Uma aragem fresca passou-lhe ao de leve pelo rosto como um beijo, como uma carícia de despedida com uma mensagem dentro. Que lhe queria dizer aquela aragem?
Stella abraçava-o e ele deixou que lhe aconchegasse o corpo gelado no seu quentinho, abandonando a cabeça no seu ombro, fechando os olhos, sem querer pensar nada. Mas pensava. Taiki pensava que há coisas que não se devem adiar tanto tempo. Pensava e pensava, tentando respirar aquele ar impregnado de maresia.
O vento, por vezes, traz-nos perfumes de recordações, e incita-nos na procura de um sinal de permanência nelas, ou então de um ponto de viragem.
Sim, claro, percebia, tinha recebido um beijo de despedida de Loiris. Era essa a mensagem definitiva que lhe roçou a face, a dizer-lhe que não podia viver agarrado a uma recordação que não frutificaria. Era preciso encerrar um capítulo da sua vida, para que vida nova brotasse. Mas não seria nada fácil… não seria nada fácil…
A carta fora escrita, entregue em mãos e respondida. Mesmo que não estivesse à espera de resposta, e não estava, a resposta viera. Viera num leve bater de asas de um anjo que o rodeou num voo perfumado de maresia. Sentiu novo roçar pelo rosto, nova aragem, novo beijo. Estremeceu, abrindo os olhos na procura dessas finíssimas asas transparentes, mas o que encontrou foram os lábios de Stella tão perto dos seus:
- Olha como tremes. Que ideia a tua vires para aqui, assim, sem um casaco… e o susto me pregaste!
Olhou para ela, incapaz de articular palavra, mas aconchegando-se mais naqueles braços, verdadeiros e seguros, que o puxavam para fora do areal.


(Um trecho meu para Mar da Alma do Fontez na sequência de colaborações anteriores na história de Taiki.) 

17 comentários:

AC disse...

O quanto valem uns braços verdadeiros e seguros!

Beijo :)

AFRICA EM POESIA disse...

Vim matar saudades...

O rio corre sempre
Luta sempre
não baixa os braços

Um beijo

RIO


Olho a paisagem...
Vejo o rio...
O monte...
E vales...
Como és belo...
Como és grande...

É bom ver-te...
Rio límpido...
De águas puras...
De águas cristalinas...
A cair pelos montes...
E pelos vales...

Cair lentamente...
E ver como se corre...
Como se beija...
E como se dorme...

E tu Rio...
Lentamente...
Desces os montes...
Os vales...
E beijas...
E acaricias...
E corres...
Sem nunca parar!...

LILI LARANJO

PRECIOSA disse...

Amei suas escritas!
Te acompanharei sempre
Tenhas um final de semana regada de muito amor

Preciosa Maria

Um brasileiro disse...

oi. navegando pela blogosfera dei uma parada aqui no seu porto. gostei. muito lindo e interessante. apareça por lá. abraços.

Justine disse...

Continuas a escrever de uma maneira muito expressiva:))
Abraços

. intemporal . disse...

.

.

. será pelo vento que se abraça o momento d.aquele que fora tempo e por ora a memória do maior sentimento .

.

. um beijo meu .

.

.

Naty e Carlos disse...

Um amigo verdadeiro é alguém que chega quando todos os demais se vão, e se fica quando todos os demais desapareceram. Graças por ser meu amigo.
Uma boa semana
Bjs com carinho

tulipa disse...

Aqui estou, mais uma vez, abrindo o meu coração para os amigos e convido-a a ver o meu último post nos "Momentos Perfeitos":

ONTEM...SÓ ONTEM
Aliás, queria que muitos mais dias da minha vida fossem como ontem.
Queria que muitas semanas da minha vida fossem como esta semana.
Uma semana de emoções lindas, puras e fortes.
Interrogo-me: como é que o meu coração aguenta tantas emoções?
A minha vida é difícil, muito difícil.
...
...

Mas a realidade é outra e ouço o meu nome, chamam-me para ir receber o meu 1º prémio num concurso de fotografia; de seguida, nada mais ouvi, os olhos apontados para o chão e os pés levaram-me até ao palco onde me senti num outro universo.
O MEU UNIVERSO!!!

Minha Amiga
Gosto muito do seu universo de palavras. Também sinto uma "aragem" doce.
Beijos.

jorge vicente disse...

E um abraço doce [com sal de maresia]

jorge

O Árabe disse...

Não conheço os outros textos, confesso... mas esse teu já vale de muito, por tudo que encerra. :) Boa semana!

JB disse...

Obrigada pela sua visita!

Também vim conhecer o seu espaço e que doce aragem me envolveu!
Uma escrita leve,que nos faz deslizar nas emoções e nos acaricia com perfumes, recordações, em tons embrenhados de belos sentimentos. O abraço... um poema a dois, um infinito de sentires...

Gostei imenso e voltarei!

Beijinho

antonio - o implume disse...

Que a vida como as histórias nunca se encerre num capítulo.

Luís Coelho disse...

Um texto tecido num abraço de maresia onde o frio se cola e aconchega no silêncio das palavras e nas ondas que procuram os sonhos do amanhecer.

Simples e maravilhoso.

Obrigado pelo carinho que me deixou no lidacoelho.
Bem haja.

antonio - o implume disse...

As respostas que temos ao nosso alcance, serão sempre nossas.

helia disse...

Por vezes é preciso encerrar um capítulo da nossa vida para seguirmos em frente!
Gostei muito do texto

Ailime disse...

Amiga Fá,
Já há tempos que não vinha aqui a este seu cantinho.
E continuo a gostar do que escreve e como o faz tão bem.
Uma escrita que nos agarra e ao mesmo tempo lê-se de um fôlego.
Parabéns.
Beijinhos.
Ailime

Cristina Fernandes disse...

Nos mistérios que o vento nos desvenda, escreves-te um belíssimo texto...
Bjs
Chris