terça-feira

Pontos nos iiiiii


O que é que eu faço aqui?
Colo o nariz ao vidro da janela e pergunto-me: mas o que é que eu faço aqui, neste mundo tão grande e frio?
Penso em abri-la e debruçar-me no parapeito, sorver um sopro de vento, um doce-amargo do tempo...
E há tanta vida lá fora à espera para eu passar.
Ouço, ao longe, tambores... ouço-te as palavras no vento. Grito por ti, para que me livres do pesadelo, mas o vento sopra ao contrário e não chega até ti o eco da minha voz.
Quando ousarei partir o vidro da janela e abrir as asas para me soltar?

16 comentários:

AC disse...

Quando um gesto, um simples gesto, pode fazer toda a diferença...

Beijo :)

antonio ganhão - o implume disse...

Todas as fronteiras são assim, frias, esmurrando a nossa vontade e de uma invisibilidade transparente como a dos vidros... especialmente as do nosso interior.

Lilá(s) disse...

Há dias assim em que apesar da transparencia, um muro se ergue...
Bjs

Vanuza Pantaleão disse...

Por vezes somos prisioneiros de nós mesmos...
Adorei, Fa!
Beijos

varandasazuis disse...

São maravilhosos os seus escritos, parabéns por tamanha sensibilidade!

bjos...

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

Por vezes, é preciso partir o vidro da janela e abrir as asas para se soltar. Não se espere que, para lá do vidro,alguém oiça o nosso grito, ou que, ouvindo-o, nos deite a mão.
Linda a sensibilidade poética deste registo!

Olinda Melo disse...

Ah! o som dos tambores! uma das primeiras manifestações do Homem em termos comunicacionais...E a magia continua por mais anos que passem.É deixarmo-nos ir e responder ao apelo primitivo das nossas almas...

Beijo

Olinda

Nilson Barcelli disse...

Quando algo nos separa do sonho, não sabemos o que fazemos aqui...
Belo texto.
Beijos, querida amiga Fá.

Luís Coelho disse...

Um texto carregado de sonho e ternura.
Apetece-nos também partir o vidro, procurar asas e voar.......

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

Olá!
Passei em busca de novidades e deixo um beijinho, desejando que tenha um excelente final de domingo.
Beijo.

O Árabe disse...

Assim é. Sempre, necessitamos abrir as nossas janelas. :) Boa semana!

Smareis disse...

As vezes um simples momentos, uma janela, é que faz toda a diferença. Gostei muito de ler seus textos. Voltarei mais vezes. Um Abraço!

ONG ALERTA disse...

Fazer a diferença é para poucos, beijo Lisette.

Petrus Monte Real disse...

- a todo o momento!
Importa reconhecer os sinais que chegam ao íntimo... uma simples palavra ou, quem sabe, um som do vento que passa...

Um belo e espantoso poema!
Um abraço.

Cátia disse...

Já o fizeste... não já? :)

É bom ler-te.
Um beijo de carinho,
CA

Fa menor disse...

Devagar se vai ao longe...
:)