quinta-feira

Frio


De súbito sentiu frio.
Um gelo fino começou a apoderar-se-lhe das mãos. Um nevoeiro branco, denso, semelhante a escuridão, a inundar-lhe os pensamentos. E um tornado na alma, uma ânsia no coração, um degredo, um medo, uma solidão… e uma coragem vadia, que ora o tocava, ora lhe fugia.

Uma procelosa história de amor tinha-lhe batido uma vez à porta e ele deixara-a entrar, sem reservas. Mas ela tão depressa como entrara assim saíra, não sem antes fazer a porta em pedaços, como se fora um disparo de canhão. E agora o frio entrava. Entrava tudo, porque não havia porta para o proteger.
Mas não se lamentava de ter amado, de amar ainda, mesmo que um amor sofrido. O que o constrangia era não conseguir sair para fora de si, atravessar os destroços mal arrumados e sempre revolvidos, ao encontro da verdade que tinha medo de desvendar.
E assim se enredava numa malfadada dor, que o não abandonaria enquanto permanecesse cobardemente sentado, à espera nem sabia de quê. Que ela viesse até si? Isso seria brilhar o sol no céu da sua noite. Um milagre improvável. Mas ele podia ir até ela, já descobrira onde morava… e, sem que ela o suspeitasse, já a tocava ao longe com o olhar, já a suspirava em cada beijo imaginado, já a sintonizava dia após dia em cada poro da sua pele. Sim, podia ir até ela. Não se sentia era nesse direito. Mentia: o que tinha era medo. Medo. Medo… Medo!
E sentiu mais frio…

31 comentários:

Ives disse...

Sua prosa me prende de inicio ao fim! lindo, abraços

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Medo, medo e muito medo é o que sentimos tantas vezes ao enfrentar os factos da vida; é difícil vencer o medo, mas, de ir atrás do amor, deve-se fazer de um tudo para que o medo se vá. Um beijinho e adorei a sua prosa; muito bem escrito este texto, aliás, todos os que escreves. Fica bem, amiga e até sempre.
Emília

GarçaReal disse...

Todos temos medo...Medo de novo fracasso, medo de embater no falso....Medo.....
Que o amor vença barreiras e apague os medos.

Bom Ano

Bjgrande do Lago

* Ave.Lys * disse...

Amiga

Venho desejar-te um Ano Novo cheio de surpresas agradáveis e que seja esta a altura para que a SUBIDA se inicie em consciência. Embora saibamos que para sermos fénixes teremos de passar pelo caos. Acredito que não seja fácil, mas comigo o Universo tem sido muito bom porque me vem preparando...e que preparação!

Deixo-te o meu abraço e perdoa não passar por tua casa mais vezes mas deixei de andar na blogosfera, apenas continuo a "postar"...e pouco mais.

Eternamente
Mariz

Evanir disse...

Que a felicidade te acompanhe sempre e que ela seja
sua companheira constante no decorrer desse Ano de 2012.
Sigamos avante, para o alto e com um sorriso no rosto! Paz e luz.
E já no final dessa primeira semana de Ano Novo.
Desejo um feliz e abençoado final de semana.
Vou continuar te seguindo e te amando sempre.
Beijos no coração.
Evanir

Isabel José António disse...

Olá Fa menor,

Um texto cuja prosa é intensa e etérica, simultaneamente. Muito bonito e cheio de estética.

Gostava de tecer algumas breves considerações sobre o medo.

O medo é o que nos tolhe e paralisa. Não é com ele que avançamos para qualquer descoberta.

O medo não é real. É uma lente que se mete entre nós e uma determinada situação ou algo. Se, soubermos que tudo na vida é cíclico, nascendo, percorrendo um determinado espaço físico ou psicológico e por fim morrendo ou indo embora, podemos ficar serenos, não exacerbando nos comentários (nem bons nem maus) e verificaremos que passado algum tempo o medo foi-se.

Isto, naturalmente, requer algum treino. Mas vale a pena treinar...

Quer os medos, quer as alegrias não são eternos nem permanentes.

O que está para além deles
é que conta. O que está para além deles é a eterna Consciência que é quem nós verdadeiramente somos.

Um bom ano de 2012.

Um abraço

José António

BlueShell disse...

Oh, sim...quantas vezes temos MEDO da Verdade!!!!

Lindíssimo....
Bj

ONG ALERTA disse...

O medo é aprendizado...beijo Lisette.

helia disse...

Todos nós temos momentos de muito medo , mas é preciso enfrentá-lo e seguir em frente!
Excelente texto!
Um feliz 2012, com coragem e sem msdos

. intemporal . disse...

.

.

. o medo é sempre redutor . e nunca ir.redutível o milagre do amor .

.

.

. um beijo meu .

.

.

antonio ganhão disse...

Portas que se abrem, mais tarde ou mais cedo deixam entrar o frio... será?

Ailime disse...

Amiga Fá,
Sempre um prazer ler o que escreve.
Por vezes o frio invade-nos (o tal medo?) mas há que ter coragem em enfrentá-lo!
Sair de nós e enfrentar a vida...
Beijinhos e continuação de bom domingo.
Beijinhos.
Ailime

Nilson Barcelli disse...

Pela porta assim aberta, entra todo o frio do Inverno.
Mas também pode entrar o calor...
Fá, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

。♥ Smareis ♥。 disse...

O medo corrói a alma.
Estou de volta depois de uns dias ausente.
Desejo uma semana imensa de coisas boas. Obrigada pelo carinho da amizade...Um abraço!

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

Gostei muito deste registo.
Terrível mesmo é quando se sente frio na alma, quando as agruras da vida nos enregelam o coração. Não há casaco que o agasalhe. Não há quecimento central que o aconchegue. Vive-se mesmo numa casa sem porta.
Um beijinho e um ano tranquilo.

O Árabe disse...

Medo... sensação que nos enregela a alma. Boa semana, amiga!

Utilia Ferrão disse...

Fa medo? não não vamos ter medo, nem da chuva nem do vento nem da tempestade
O medo não existe é apenas um fantasma.
Utilia Ferrão

Vanuza Pantaleão disse...

O medo de amar ainda é um dos piores, senão o pior medo que avassala a alma humana.
Fa, grata pela explicação e um beijão!

ONG ALERTA disse...

Beijo Lisette.

mixtu disse...

ele podia ir até ela...
frio
um sopro
vento suave
medo...
milagre...
num beijo imaginado

abrazo serrano

poetaeusou . . . disse...

*
e . . . aqueci
na friagem dos medos,
fervendo . . . imaginando . . .
,
fervilhadas conchinhas, deixo,
,
*

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

O que será maior:

O medo de amar,
ou o medo de não amar???


Que cada dia deste novo ano,
seja em tua vida,
um dia de reencontro.

O Árabe disse...

Aguardo o novo post... e te desejo boa semana! :)

mixtu disse...

continua o frio
e a geada...
mas irá brilhar o sol...

abrazo serrano

helia disse...

Não há ninguem que por vezes não sinta medo... Mas é preciso vencê-lo e seguir em frente!

Sonhadora disse...

Minha querida

Por vezes o medo não nos deixa viver momentos que poderiam eternizar a vida.
Como sempre intenso o que escreves.


Beijinho com carinho
Sonhadora

O Árabe disse...

Boa semana. Continuo a aguardar o novo post. :)

jorge vicente disse...

medo medo Medo! Um flagelo.

Muito bonito este teu texto.

Um abracito
Jorge

Nilson Barcelli disse...

Olha a vaga de frio que vem aí a partir de amanhã...
Foste tu que a pediste...?
Fa, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Isa Lisboa disse...

Frio... dá medo, sim! Mas o calor acaba sempre por voltar!

Arlete Castro disse...

Amiga amei teu blog, parabéns.
Já sou tua seguidora.
Visite o meu tem sorteio, te espero lá.
Sucesso.
beijos.