sábado

A casa dos Ratos 2


À falta de melhor, a casa para os ratitos foi um cesto para papéis. Era de plástico, alto, com quase meio metro de altura, rendado do meio para cima – as janelas. Uma cama improvisada com uma camisola velha a forrar o fundo.
O senhor João transferiu-os para lá, um a um, e eles pareceram ficar perdidos, abandonados, ali estendidos naquele colchão sem odor de mãe.
— Coitadinhos, pai, eu trato deles.
Bia aninhou-os bem encostadinhos, procurando que sentissem o quentinho uns dos outros. Foi buscar um pires para onde verteu um bocadito de leite. Ensopou nele uma bolinha de algodão e encostou-a aos focinhitos dos monstrinhos para eles sorverem.
— Pai, venha ver como eles mamam! – gritou ela esfusiante de contentamento.
E, assim observados, tomaram a primeira refeição na nova casa.
Depois, Bia foi buscar um pano de cozinha e tapou com ele a boca do cesto, amarrando-o bem à volta com um cordel, não fosse aparecer por lá o gato Tonecas e fazer deles o seu almoço.

13 comentários:

O Árabe disse...

Agora, aumentou o suspense. Nem sei se torço por eles, ou pelo Tonecas. :) Boa semana, amiga!

Carla Fernanda disse...

Quem amam cuida não é?
Beijos e boa semana!!

Jose Torres disse...

Coitado do gato.
Tem um petisco à mão de semear, digo, encostado aos bigodes e...
Bem, depois de estarem gordos o Tonecas vai lamber as beiças... e chamar-lhes um figo.
Uma boa semana sem roedores de quatro patas... (rsrsrs) (os de duas são os habituais.

Nilson Barcelli disse...

Já começo a ter pena dos ratos...
Mas estou a achar a história interessante. Conyinua...
Querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

Isa Lisboa disse...

Todos precisam de aconchego... Aguardo a continuação, da história desta casa...
Beijos

Lilá(s) disse...

E agora, não sei se fico arrepiada se apaixonada pelos pequenotes!
Bjs

Ailime disse...

Olá Fá,
Agora também fiquei curiosa com o seguimento da história.
Vamos lá a ver se os ratinhos não me deixam ficar mal:).
É uma questão de oportunidade. Será que o desafio será ganho?
Beijinhos.
Ailime

Maria João disse...

É de ternura esta história. Da ternura que nos vai faltando, para fazer o que o coração manda em detrimento daquilo que todos acham mais certo.

Bonito, Fa. Muito bonito e muito bem escrito.

Um abraço

ONG ALERTA disse...

Mesmo assim náo gosto de ratos, hehehe
Beijo Lisette.

Jose Torres disse...

Vim ver se já tinha chegado o 2 de Novembro (fieis defuntos) para a rataria.
Pelo que posso observar ainda andam por aí.
Um bom domingo.

Sonhadora disse...

Minha querida

Agora fiquei toda derretida com os ratinhos (e eu tenho medo...) de ratos, mas estão descritos duma maneira ternurenta.


Um beijinho com carinho
Sonhadora

O Árabe disse...

Pelo menos, nos conta se o gato apareceu! :) Boa semana.

Smareis disse...

Coitados dos bichinhos.
Ai Tonecas faz isso não.
Beijos e ótima semana.